segunda-feira, 21 de junho de 2010

Sobre o veto do voto

Tem-me sido, insistentemente, solicitado que divulgue o texto do “Voto de Pesar”, sobre a morte de José Saramago, redigido pela Representação Parlamentar do PCP, na ALRAA, e que os Grupos Parlamentares do PS e do BE subscreveram e que o PSD, o CDS/PP e PPM não ousaram subscrever.
O “Voto” foi entregue durante a tarde do dia 18 de Junho à Mesa da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores e será apresentado e votado no Plenário de Julho.
Como não faço da participação e actividade política um circo não divulguei, nem divulgarei, o teor do “VOTO” que será tornado público pela via institucional em tempo oportuno.
O voto não foi lido e aprovado porque o PSD VETOU a alteração da agenda (segundo o Regimento da ALRAA a agenda só pode ser alterada havendo unanimidade da Conferência de Líderes), ou seja, mesmo discordando como discordaram o PPM e o CDS/PP, foi o PSD que inviabilizou que a ALRAA tivesse aprovado, 2 horas após o falecimento de José Saramago, um “Voto de Pesar” pela morte do escritor, que foi Prémio Nobel e que por acaso, ou talvez não, era militante do PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS.
Peço a todos quanto me têm pedido o texto que compreendam os motivos da minha recusa.

2 comentários:

Maria disse...

Esperemos por Julho, para confirmarmos o país de democratas em que vivemos.

Um beijo.

Aníbal Pires disse...

Olá Maria,

Esperemos!
Sabes que o texto foi redigido, também, com o teu auxílio. O tempo era escasso e transcrevi para o "voto de pesar" o poema do José Saramago que entretanto tinhas publicado no teu blogue.

Beijos,